acompanhe nas redes

  • setembro 12, 2017

    O Mínimo para Viver

    Não sou lá muito de fazer apelos internet a fora no entanto, assim como vim aqui dizer o quão Dear White People é uma série importantíssima para nós – enquanto seres humanos que se relacionam entre si e enquanto sociedade de uma maneira geral – me sinto no dever de voltar e dizer que To The Bone é um filme tão importante quanto para a atualidade, além de ser uma belíssima crítica a sociedade e seus padrões e um alerta enorme em forma de choque de realidade.
    "Supere as dificuldades e então terá uma vida maravilhosa"
    O Mínimo para Viver retrata a vida de alguém que sofre com anorexia, a Ellen. O enredo toma forma a partir da sua internação em uma 'clínica de reabilitação', nada convencional, para pessoas que sofrem de distúrbios alimentares como anorexia, bulimia, compulsão alimentar, entre outros. A partir deste episódio, acompanhamos Ellie por sua caminhada de autoconhecimento, aceitação e cura.

    Desconfortável, essa é a palavra que define To The Bone. Dirigido e escrito por quem sofreu tal doença, é um filme um tanto quanto delicado e difícil, levando em consideração que aquelas cenas são realidade para muita gente. Como espectadora, que não tem nenhuma vivência com distúrbios desse tipo – tanto pessoais quanto de pessoas ao redor – fiquei muito impressionada e ao mesmo tempo reflexiva pela possibilidade de conviver com pessoas com essa doença e não saber como ajudar.

    O vício em cortar calorias para alcançar um nível irreal de padronização estética é algo surreal e inacreditável. Particularmente eu não tinha noção do quão difícil é viver numa realidade dessas. Imagino que a dificuldade de tratamento, da busca por ajuda, do se reconhecer vulnerável a algo que é maior que a gente seja perturbador. A anorexia é uma dor não só pra quem está vivendo, que não entende e/ou tem forças suficientes pra conseguir se tratar, mas também pra família e quem vive ao redor, por não saber como e o que fazer para ajudar.

    "Fique boa, mas não perfeita!"
    Assim como identifiquei que 13RW é sim um tremendo gatilho para quem sofre de depressão ou distúrbios psicológicos, acredito que este filme também possa ser uma forte força negativa para quem já passou ou passa por algo parecido. Mesmo assim, para quem não tem convívio com pessoas dessa realidade, é um respeitável tema levantado pela Netflix.

    Ao mesmo tempo que a produção é muito forte e rica em trabalhar os detalhes e efeitos da patologia, ele possui algumas mensagens motivacionais, empoderadoras e reflexivas. Me fez pensar o quanto a gente vive no nosso próprio mundinho achando que o jardim do vizinho é mais bonito. Vale muito a pena assistir, pois o longa é repleto de ensinamentos e conhecimento nunca é demais.

    "Cada um tem uma luta diferente, a gente não deve julgar ninguém." Já pensou que as vezes, aquela garota magra não é assim por genética e sim por estar se submetendo a coisas inacreditáveis para se encaixar em um padrão de beleza que nem deveria existir? Pense nisso!
    setembro 06, 2017

    Remember: Floribella

    Inspirado em um sucesso argentino, em 2005 a TV Bandeirantes iniciou a produção de uma telenovela que logo se tornaria uma das febres nacionais, a Floribella. Quem não lembra? Com duas temporadas e uma narrativa pra lá de encantadora, envolvente e apaixonante, nos rendemos aos charmes de Maria Flor e sua turma, que até hoje nos deixa muitos ensinamentos e trás um quê de saudade.


    Floribella conta a história de Maria Flor, uma jovem muito sonhadora e um tanto atrapalhada, que apesar de órfã não se deixa desanimar com os imprevistos e leva uma vida simples, com a ajuda da madrinha, Titina e o filho dela, Batuca. Flor vive rodeada de amigos e não gosta de brigas, por isso, após um desentendimento ela acaba comandando a banda de um deles.

    Após uma festa no qual o conjunto foi contratado para realizar um show e também por coincidência, Maria acaba se tornando babá da família Fritzenwalden. Entre muitas confusões e ocasiões engracilárias, o que ela não sabe, é que toda essa experiência trabalhando nesta casa lhe traria grandes oportunidades e descobertas. ♥

    Por ser um tv-show para público infanto juvenil, boa parte do elenco era jovem. Os diálogos eram muito bem encaixados e com cuidado, levando em conta a idade dos telespectadores. Mas mesmo assim tinha comédia, um pouco de drama, romance, muita música. Podemos dizer que até os vilões eram amados.

    Na época a novela fez tanto sucesso que muitos produtos foram personalizados. Tinha álbum de figurinhas, dvd com show, espetáculo musical e todas as coreografias das músicas, sem contar que o bamba – o tênis da sorte que a Maria Flor usava – começou a ser comercializado e quem o tinha era super descolada (eu tinha e amava meu bamba!). Tudo para deixar os pipocada um pouco mais perto da carismática Floribella.



    Até pouco tempo atrás estava disponível na Netflix (campanha volta Floribella no netflix!). Atualmente, para quem não conhece ou quer relembrar, é possível assistir no através do youtube.

    Esta semana a trilha sonora ficou disponível no Spotify, entrando inclusive nos assuntos mais comentados do twitter além de estar nos virais do canal de streaming. E, obviamente que eu, como fã, iria compartilhar todo meu amor e carinho com vocês, colocando o álbum aqui pra quem quiser relembrar e chorar de alegria junto comigo, hehehe.

    Esse post não é capaz de expressar nem metade da minha felicidade com o Spotify por liberar essas músicas e me fazer relembrar muita coisa da minha infância. Quem nunca dançou Pobre dos Ricos na frente do espelho? Um hino desses, bicho! hahaha. Inclusive, nesse momento estou assistindo um especial deles (veja também aqui!) e estou chorando, literalmente, de saudade. Ai, gente, infância é muito bom né? ♥

    Me conta nos comentários se você é dessa época, se não é, se já ouviu falar... Beijo!

    setembro 03, 2017

    Não Existe Momento Certo

    Oi! Começa já dando olá ao novo dia, a essa nova oportunidade de começar e recomeçar. Se dê uma chance, hoje pelo menos, de aproveitar cada momento, de se permitir viver o que você tanto quer, o que tanto almeja. Diz oi a oportunidade de te fazer crescer, de se destacar, de dar o seu melhor, de se reformular, de se tornar o alguém que cê tanto quer, sem se importar com nada, sem nenhum rótulo, apenas você. Se coloca como prioridade!

    créditos: tumblr

    Não é só comigo que acontece. Vejo muita gente de um potencial imenso por aí se oprimindo, vivendo de forma infeliz, se ofuscando atrás dos outros mesmo com o desejo ser grande. Gente sem coragem, sem força, sem esperança.

    Mas hoje, eu estou aqui para que a gente se lembre. Vou deixar um lembrete a você e a mim também. Daqueles conselhos bem clichês, que a gente ouve todo tempo e ainda assim não entende, não põe em prática e ignora. Vá em busca dos teus sonhos. Se é algo que frequentemente vem a tua mente, algo que tu sabe que verdadeiramente cê quer, começa a colocar no papel e vai tentando desenhar o caminho, a trilha que você terá de percorrer até concretizar esse sonho. Afinal, sinceramente, se tu não der o primeiro passo ninguém vai dar por você, certo?

    Desafie-se todos os dias a sempre fazer um pouco por esse sonho. Cada ação vai te gerar um resultado futuramente. Monte planilhas, faça metas, espalhe por todo o quarto, coloque em aplicativos... Faça esse sonho parte da sua realidade ou vai continuar sendo só um sonho.

    Pois na verdade, a gente costuma ficar sempre achando que um dia vamos perceber que é o momento certo para começar. Imaginamos que o roteiro da nossa vida já está escrito e que, assim como nos filmes, se eu estou sonhando agora, amanhã acontecerá de certeza. Só que, meu bem, no fundo sabemos que nada cai do céu e que nada vem até nós sem esforço. E mais importante que isso, ninguém vai enfrentar essa batalha por nós.

    O grande clichê que a gente ouve e lê em tudo que é lugar, que está estampado em todo outdoor é que as chances, as oportunidades são feitas por nós. Do mesmo modo que tu és eternamente responsável por aquilo que cativas, você é o único responsável pela sua vida. Você!

    Então, bora pra action. Bora fazer e acontecer, trazer as oportunidades até nós, ir em busca dos nossos sonhos e realizar tudo o que esperamos. Temos parar de esperar que o universo mande o que a gente quer sem termos trabalho. Vamos começar a fazer mais por nós mesmos. Parar de pensar nos "e se's", e seguir confiante que vai dar certo. Se não der, valeu de experiência. Confia!