Icons

  • maio 29, 2017

    lidos em maio

    Quando eu era mais nova, achava bizarro que quando minha mãe encontrava alguém na rua sempre tinha algum comentário do tipo "nossa, como ela está grande" "como o tempo passa rápido"... Sempre ficava pensando que os adultos eram loucos, afinal eu conseguia fazer tanta coisa em um dia, como que o dia passava rápido? E agora vejo que, realmente, o tempo passa muito rápido, a vida é muito corrida! Olhem só: já estamos no final de mais um mês (e já comecei a contagem regressiva para o meu aniversário, que é só em agosto)!


    imagem: @alisaanton

    Como de costume, abaixo seguem os textos que li durante o mês de maio, no qual me identifiquei. Espero que gostem :)
     
    1 - Aproveitar a Juventude
    Achei que só eu tinha o sentimento de "meu deus, não estou aproveitando a vida igual fulano" sendo que, na verdade, cada um aproveita do jeito que lhe melhor convém, certo? Nesse desabafo, a Auana diz nada além do que eu precisava ler para parar de me culpar por não viver a vida que o mundo gostaria que eu vivesse. Obrigada, Au!

    2 - Artigo sobre Representatividade
    Um artigo maravilhoso, em inglês, sobre um editorial da revista O, the Oprah Magazine que em três imagens, trás muito conteúdo a refletir a respeito do preconceito racial (não só sofrido pelos negros, mas também as diferentes tipos de raça) e estereótipos impostos. Particularmente achei o máximo! Mesmo trabalhando na desconstrução desses paradigmas diariamente, fiquei um pouco chocada e até demorei um pouco pra assimilar o assunto a uma das imagens. Vale a pena abrir o link, nem que seja só pra dar uma olhada nas fotografias.

    3 - Conselhos meus pra mim e pra você
    Um texto amorzinho desses pra salvar nos favoritos ou até imprimir e colar num lugar de fácil e frequente visão como espelho ou quadro mural. Conselhos da Clara para ela e nós sobre a importância do amor próprio e para ler sempre que acharmos que as coisas não estão bem ou quando começamos a criar caraminholas na cabeça. Fiquei com o coração quentinho logo que li. Mesmo que as coisas estejam bem por aí, dá uma lida também pra aumentar mais essa vibe do bem :)

    4 - Por que eu nunca quis ser guerreira
    Me identifiquei muito com o texto da Pamela, pois: 1- também queria que a vida fosse um pouquinho mais fácil para mim, afinal nem todo dia estamos com a energia suficiente pra sair por aí pra matar aquele famoso leão que temos que sacrificar todo dia. 2- a gente vive na cobrança, expectativa de lutar, lutar e lutar pra ter uma vida melhor, uma condição melhor, quiçá até subir de classe, porém não é tão glamuroso como todo mundo pensa e diz por aí, muito pelo contrário. 3- já falei aqui inúmeras vezes sobre o quanto a gente é cobrado pela sociedade ainda que indiretamente e, de verdade: isso é um saco. ¯\_(ツ)_/¯
    No entanto, entendo e assumo que se as coisas fossem mais fáceis eu não daria tanto valor assim, mas poxa, tinha que ser tão doído assim? Por alguns dias, só por alguns diaszinhos eu queria poder ficar deitada em posição fetal com meu baldinho de pipoca e meu prato de brigadeiro sem ter que ficar pensando nas contas do final do mês, sem pensar em estudar, crescer, ser alguém na vida e etc, etc, etc. Seria pedir muito?

    5 - Vamos falar sobre dinheiro (e economiza-lo!)
    Antes de qualquer coisa: se você curte a proposta do estilo de vida minimalista, armário-cápsula, proposta de ficar um ano sem gastar, se gosta de moda em geral, leia o blog da Mel!
    Nesse post, a Mel fala sobre como ela aprendeu a economizar dinheiro e sua percepção sobre seus gastos e o mundo capitalista em que vivemos. O blog dela é um amorzinho, é no formato old school que particularmente eu amo. Ela divide suas experiências sobre a adaptação a uma vida mais saudável em relação ao mundo capitalista, digamos assim. Seus relatos são inspiradores e, aposto que ao ler esse post, você também ficará motivado a buscar uma vida mais simples.

    6 - Você valoriza tudo, menos roupa
    Um texto super realista sobre como nosso consumo de moda, de uma maneira geral, mudou e vem sendo cada vez mais influenciado pelos preços utópicos, irreais e injustos das fast fashions. Há um tempo eu estou num processo de reeducação de hábitos e consumir menos, em todos os aspectos, tem sido algo muito importante porém não tão simples assim. Aceitamos pagar mais caro por uma refeição, por um livro, um corte de cabelo, um serviço de modo geral – por saber que a qualidade é realmente boa – mas porque ainda nos queixamos a pagar pouco em roupas?

    Gentes, vocês tem algum textinho pra me recomendar? Algum blog ou canal? Podem deixar nos comentáriossss, obrigadinha! ♥

    3 comentários:

    1. Obrigada pela listinha <3 abri todos para ler *-*

      Com amor,
      Bruna Morgan

      ResponderExcluir
    2. acabei de descobrir que estou aqui!!!! amei o texto na revista da oprah e o último, sobre querermos pagar barato em roupa

      ResponderExcluir
    3. Eu li esse da Marieli quase agora e adorei, muito bom! Vou dar uma conferida nos outros links.
      Agenda Aleatória

      ResponderExcluir