Icons

  • fevereiro 24, 2016

    #diáriofit: O "Não" que Faz Bem

    via reprodução

    Minha maior dificuldade depois de ter iniciado o processo de reeducação foi, sem dúvida, largar de vez os maus hábitos de trocar almoço por fast food, beliscar durante as refeições, viver a base de pãozinho com frios, leite com achocolatado e muito, mas muito doce, confeitados e bolos recheados. Quem tem algum transtorno emocional, força o organismo a procurar algum tipo de válvula de escape para determinadas situações. Comigo, aconteceu de eu acabar entrando num ciclo vicioso, numa compulsão alimentar, onde qualquer probleminha com o emocional ou qualquer nervosismo ou ansiedade que fosse, era motivo pra eu me jogar nas "gordices". 

    Por ter um temperamento um tanto complexo, assim que dei início ao desafio, entrei numa onda de cortar tudo que eu comia, radicalizar, fazer exercício todo dia, comer bastante fruta, beber bastante água, adicionar alimentos saudáveis a minha dieta e, de certa forma, me impor a cumprir uma rotina que de longe era muito diferente da minha. É oito ou oitenta.

    As três primeiras semanas foram super fáceis: exercício todo dia, alimentação balanceada, sem doce, sem chocolate, sem fast food, sem beliscar... Estava feliz e orgulhosa de mim mesma já que estava seguindo tudo certinho conforme as fits fazem. Até que o emocional começou a tomar controle novamente e, infelizmente, acabei me deixando levar pela compulsão. O que eu precisava, naquele momento, era descontar em alguma coisa o que estava sentindo. E fiz. Descontei em mim, mas logo me arrependi.

    Coloquei a culpa na dieta que foi restritiva demais, coloquei culpa na falta de tempo, na minha mãe, no namorado, no ar que entra na janela. Até que por fim, minha ficha caiu e pude entender que o maior vilão da história não é meu transtorno compulsivo, muito menos as comidas só por elas existirem e sim eu mesma. Quem melhor do que eu pra me auto ajudar e tentar controlar essa compulsão, de uma forma diferente e mais eficaz? Pois bem. Coloquei na cabeça que se eu não aprender a dizer não para a comida, nunca terei controle sobre mim mesma.

    Sendo assim, queria compartilhar que estou em novo processo de adaptação do 60 dias mais fit, só que agora, estou entrando numa preparação de 30 dias restringindo meu paladar a determinados tipos de alimentos para que, quando eu reiniciar os 60 dias mais fit eu comece com uma dieta de verdade, montada por um profissional nutricionista e não pelo meu achismo ou conhecimento cibernético de o que eu posso ou não comer quando entro numa dieta. 
    Então, vou abrir oficialmente a tag #diáriofit para meus posts regulares referente a minha experiência com a reeducação alimentar, a adaptação e prática de algum exercício físico. Queria aproveitar pra agradecer os cometários nos posts anteriores, pelo apoio e carinho. É muito confortante saber que não sou só eu que passo por isso! :) 

    2 comentários:

    1. Também estou tentando me reeducar na alimentação mas é realmente difícil se manter na linha. Fico tentando me premiar: se hoje consegui pecorrer uma distância maior na esteira, me dou uma pipoquinha (feita em casa, sem conservantes e tal) de presente, assim, não fujo muito da dieta e me sinto feliz pelo exercício e pelo prêmio.

      Espero que consiga alcançar sua meta!
      Beijos, Érica.
      http://demasiadaspalavras.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    2. Boa sorte, Rê. Fico feliz ao ver que você repensou a dieta, e vai ter ajuda de um nutricionista dessa vez. Sempre acho que é perigoso tentar algo assim sem acompanhamento :/ Mas força, espero que você consiga os resultados que procura! Vou ficar de olho nos próximos posts!

      E te indiquei pra uma tag lá no blog. :)

      Beijos!
      Vestindo o Tédio

      ResponderExcluir