acompanhe nas redes

  • janeiro 30, 2018

    101 coisas em 1001 dias

    Janeiro ainda não terminou e por aqui ainda sigo em um certo clima de ano novo. Resoluções são coisas maravilhosas para nos manter determinados a conquistar nossos objetivos dentro de um período de um ano, certo? Melhor que realizar os desejos para os próximos 365 dias do ano é realizar sonhos. E para isso, é preciso desenhar ou escrevê-los para sempre se manter em busca deles, direcionar seu caminho a estas conquistas e assim continuar crescendo.
    reprodução/tumblr.

    Antes de encerrar o ciclo deste primeiro mês, senti a necessidade de colocar meus sonhos no papel. Com a constante correria do dia a dia, a rotina de faculdade, do trabalho e inúmeras outras responsabilidades, pode ser que a gente tenha a sensação de que não estamos caminhando em nenhuma direção específica, ou que nunca saímos do lugar.

    Por isso, decidi me juntar ao grupo de pessoas que participa do projeto "101 coisas em 1001 dias" e assim, posso colocar nessa lista desejos e sonhos que se parecem distantes, mas de fato não são. Dessa forma, vou ter uma visão melhor do que quero ser, do que quero alcançar, de onde quero chegar – sem contar que colocando aqui no blog, posso ver sempre que estiver me sentindo um pouco perdida. Quem vai fazer uma listinha dessas também? ♥

    101 coisas em 1001 dias, de 30.01.18 à 27.10.2020

    Estudos e Cultura
    1. Me formar na faculdade
    2. Ler 30 livros
    3. Começar uma pós graduação
    4. Aprender um novo idioma
    5. Concluir o Inglês e pegar o certificado de proficiência
    6. Ir a um show do Bruno Mars
    7. Ir a um show da Demi com m&g
    8. Fazer intercâmbio
    9. Visitar 3 museus
    10. Assistir 15 filmes que "todo mundo já assistiu, menos eu"
    11. Fazer um curso de confeitaria ♥
    12. Fazer um curso de doces finos
    13. Fazer um curso de fotografia
    14. Ir a um festival
    15. Assistir 10 documentários
    16. Aprender a tocar violão
    17. Ler (pelo menos) um livro em inglês

    Explorar
    18. Conhecer Minas
    19. Conhecer o Nordeste
    20. Viajar para a Europa
    21. Ver o por do sol no arpoador
    22. Conhecer a Disney
    23. Visitar a redação de alguma revista
    24. Viajar para a Argentina com o boy
    25. Ver neve
    26. Voar de asa delta
    27. Conhecer a Grécia
    28. Conhecer a Alemanha
    29. Conhecer Nova York
    30. Passar um carnaval na Bahia

    Pessoal
    31. Fazer três tatuagens
    32. Comemorar um aniversário com festa
    33. Tratar minha ansiedade
    34. Cuidar da minha saúde mental
    35. Juntar grana para morar com o boy
    36. Começar a planejar meu casamento ♥
    37. Fazer um book solo
    38. Fazer um book em casal
    39. Ficar 6 meses sem comprar roupa, sapato e acessórios
    40. Fazer tratamento para olheiras
    41. Colocar piercing no nariz
    42. Fazer uma roupa do 0
    43. Fazer meu quarto do jeito que eu quero e sonho
    44. Nadar com golfinhos
    45. Tirar o passaporte
    46. Fazer aula de Yoga
    47. Fazer uma aula de luta
    48. Juntar dinheiro para comprar meu carro
    49. Ter um dia de princesa em um spa
    50. Fazer novos amigos
    51. Ir a um jogo da NBA com o boy
    52. Ficar menos conectada
    53. Acreditar que sou capaz
    54. Cultivar amor próprio
    55. Criar uma rotina de oração
    56. Criar uma rotina de meditação
    57. Escrever mais cartas
    58. Escrever um diário (ou fazer um diário no meu bujo)
    59. Andar mais de bicicleta
    60. Tirar carta de moto
    61. Me organizar melhor financeiramente
    62. Manter uma poupança


    Família, Amigos, Social e Gentilezas 
    63. Fazer uma festa de aniversário para o meu avô
    64. Levar minha mãe para viajar
    65. Fazer trabalho voluntário
    66. Ser papai noel dos Correios
    67. Encontrar o grupo do show da Demi
    68. Ter uma noite de Karaokê com família e amigos
    69. Presentear meus pais com uma viagem
    70. Viajar em família
    71. Realizar o sonho de alguém querido
    72. Conhecer alguma influencer que admiro muito
    73. Fazer alguma surpresa para minha irmã
    74. Adotar (mais) um cachorrinho
    75. Fazer uma festa surpresa para o boy
    76. Dar um presente para o meu irmão
    77. Passear mais com Akira

    Comprar
    78. Uma câmera
    79. Um espelho
    80. Uma cama
    81. Um frigobar para Docenata
    82. Um cabideiro

    Blog

    83. Alcançar cinco mil curtidas na página
    84. Ser mais presente no instagram
    85. Profissionalizar o blog
    86. Fazer (ou comprar) um layout que eu ame muito
    87. Participar de um beda e cumprir os 31 dias
    88. Postar metade dos rascunhos do blogger
    89. Participar de algum workshop voltado para blogs
    90. Criar um planejamento de posts
    91. Ir a algum evento voltado para bloggers

    Profissional
    92. Trabalhar em uma revista ou site
    93. Encontrar um trabalho que me deixe feliz
    94. Cartão de visitas para a Docenata
    95. Trabalhar com produção de conteúdo
    96. Produzir (ou ajudar na produção de) um evento
    97. Fazer uma entrevista com alguém que eu admire
    98. Estabelecer um horário para trabalhar e respeitá-lo
    99. Colaborar com algum blog ou site
    100. Me sentir bem com a equipe na qual trabalho

    101. Agradecer por cada coisa alcançada.

    O projeto foi criado por Michael Green, com o intuito de provocar as pessoas a montarem uma lista que fosse possível realizar 101 coisas em 1001 dias em diversas áreas da vida. Incrível, né?

    janeiro 04, 2018

    Ela Quer Tudo

    Se tem uma coisa que eu gosto muito é de assistir série. E não há nada que me deixe mais feliz que assistir uma série bem produzida, com personagens reais, com uma história interessante e que além de tudo isso, tenha o poder de me distrair. A série da Netflix, lançada em novembro, trata de assuntos muito comuns na atualidade e alguns considerados tabu: feminismo, a busca da felicidade, autoestima, invisibilidade negra, sexualização e objetificação da mulher (sobretudo a mulher negra). 
    reprodução/netflix. "Eu não sou propriedade de ninguém"
    Em She's Gotta Have It, Nola Darling é a protagonista: uma mulher, negra, independente, adepta do poliamor, autoconfiante e autossuficiente. Uma mulher comum que luta para conseguir alcançar seus objetivos. Bem segura de si, Darling não é o típico modelo de protagonista negra que costumamos ver por aí. Ela dribla sua vida com sua carreira de artista e retratista, seus relacionamentos amorosos e pessoais (família e amigos) e as dificuldades e alegrias de ser mulher, e negra.

    Mesmo tendo um certo foco para a vida amorosa de Nola, que sustenta relacionamentos amorosos com três homens, consegui achar graça e sentido nessa busca de prazer, satisfação pessoal e independência que ela faz. Claro que tem um certo ponto machista e protetor dos três personagens em resistir à forma como a Nola leva a vida, mas nada muito gritante. Inclusive, achei bem normal e comum as discussões levantadas com os três homens da Nola.

    O formato das gravações não seguem o modelo tradicionalmente conhecido por nós: Spike Lee, o produtor, mistura a narrativa da protagonista com depoimentos dos personagens em forma de documentário, o que faz com que a produção se destaque também dessa forma. Além disso, a trilha sonora é algo encantador. Fora selecionada uma coletânea de melodias e clássicos interpretados por personalidades negras que foram introduzidos ao longo dos capítulos a trazer um quê a mais de especial para o seriado.
    reprodução/netflix.
    Nola é uma mulher como nós. Sofre seus conflitos pessoais, tem seus dilemas mas segue em busca sua independência, dá duro no trabalho, é feliz a sua maneira e é encantador a forma como ela nos inspira a sermos mulheres fodas também!

    A releitura do longa de Spike Lee, de 1986, contribui para o catálogo de produções com protagonismo negro do serviço de streaming, sendo um título um tanto quanto polêmico porém que retrata assuntos relevantes nos dias de hoje. Como de costume, a produção não foi tão divulgada assim pela plataforma contudo vi muito conteúdo bacana sobre o título como esse vídeo da Nátaly Neri falando lindamente sobre.

    Fico muito feliz em ver produções como esta, como Dear White People ganhando força em meio a multidão de produções mais do mesmo de Hollywood. E, She's Gotta Have It já está com segunda temporada confirmada. Obrigada, Netflix! ♥

    Tem alguma série para me indicar?
    dezembro 30, 2017

    Diario #6: Reflexões de um ano de crescimento

    O ano sequer acabou e já estamos todos em clima de reflexão. As esperanças voltam a nos rodear e a vontade de fazer e acontecer por um futuro melhor é cada dia mais forte nessa época. Confesso que adoro essa energia toda de generosidade, gratidão e compaixão que nos rodeia sempre em meados de dezembro.
    reprodução/tumblr

    Dois mil e dezessete não foi, nem de longe, um ano fácil pra mim. Mas pelo tanto que li, não foi um ciclo fácil para ninguém, não é mesmo? Impressionante como 365 dias parecem passar tão rápido e ao mesmo tempo demoram tanto. Não consigo lembrar de muitas coisas de seus primeiros meses, salvo os relatos aqui do blog e alguns rabiscos do meu diário, contudo tenho a certeza de que a indecisão e o medo me acompanharam por um longo período e ousaria dizer que ainda vão seguir nesse próximo período.

    Lembro-me de terminar o ano passado, assim como este, com um sentimento de gratidão pelos tamanhos aprendizados e também com uma melancolia enorme. Muitas dúvidas e muitos sonhos, que pra falar a verdade aparentam ser muito mais bonitos no papel.

    Reconheço que não me esforcei o tanto que poderia para manter o que eu queria e o que era importante pra mim como uma meta. Não fui disciplinada o suficiente pra estabelecer uma rotina na qual eu pudesse me divertir e aproveitar cada momento. Tiveram inúmeros dias em que contei as horas para o expediente acabar para que assim eu pudesse ir logo para casa, tomar meu banho e ficar deitada a espera do dia seguinte.

    Perdi a esperança em um dado momento, perdi a confiança em mim mesma e sinceramente, isso é algo que é trabalhoso de se reconquistar e reerguer. Mas além de tudo isso, ou talvez por isso tudo, eu aprendi muito sobre mim mesma.

    A terapia me ajuda muito, todo dia. Aprendi a dizer sim, a aproveitar oportunidades, a me permitir momentos de felicidade, tristeza e descanso. A me cobrar menos por tantos resultados, a viver no meu tempo, a criar expectativas apenas em mim e me colocar em primeiro lugar. Me permitir acertar, me permitir errar. E aos poucos vou me reerguendo.

    Agora, fico pensando... Ao mesmo passo que quero que 2017 acabe logo, quero que ele demore bastante pra eu poder aproveitar cada minutinho aprendendo um pouco mais. Não quero carregar mil expectativas para dois mil e dezoito pois hoje eu tenho a consciência de que eu sou capaz e se eu quiser eu consigo conquistar tudo o que eu quiser, só preciso de trabalho. Quero me tornar mais leve, deixar as coisas mais leves; quero poder me permitir sair da minha zona de conforto pra realizar meus sonhos e ser mais feliz com minhas escolhas. Me colocar em primeiro lugar é a única meta para 2018.

    E vocês? Como foi o ano de vocês? Quais metas vocês já tem em mente para 2018? ♥